Tortura e Punição na Idade Média PDF Imprimir E-mail


Mário Porto

Sempre me impressionam os relatos de torturas na Idade Média onde parece que o assistir aos eventos de tortura podia ser considerado como um programa.

 

É muito triste", afirma o erudito M. de Villegille", observar a variedade infinita do que tem existido de tortura desde o início do mundo. É, de fato, percebe-se a dificuldade de se imaginar o tamanho da engenhosidade exercida pelos homens para inventar novos métodos de tortura, com o fim de oferecer a satisfação, hoje considerada mórbida, de assistir aos seus companheiros agonizando sob a força dos mais terríveis sofrimentos, como se fosse um espetáculo circense.

Ao entrar no tema dos métodos antigos de punição, é preciso primeiro definir a tortura, como tudo o que, segundo a sentença pode ser anterior ou preparatório: anterior, quando consiste de uma tortura que o condenado deve suportar antes da aplicação da pena capital, e preparatório, quando aplicado com o fim de obter do réu uma confissão de seu crime, ou entrega de seus cúmplices.

Era também chamado ordinário, ou extraordinário, de acordo com o duração ou violência com a qual era infligida . Em alguns casos, a tortura durava de cinco a seis horas consecutivas, em outros, raramente ultrapassava uma hora.

 

Tortura_aguaPor exemplo, em Avignon, a tortura comum consistia em pendurar o acusado pelos pulsos, com uma bola de ferro pesado em pé, para a tortura extraordinária, que foi então muito em uso na Itália sob o nome de veglia, o corpo ficava estendido horizontalmente por meio de arranjo de cabos que passavam através de anéis rebitada na parede, e ligado ao quatro membros, a única sustentação dada ao culpado era a ponta de uma lança cortada em forma de diamante que apenas tocava o final da espinha dorsal. Um médico e um cirurgião estavam sempre presentes, medindo a pulsação nas têmporas do paciente, de modo que pudesse avaliar o ponto que ela não podia mais suportar a dor por mais tempo. Naquele momento, ele era desamarrado, poções quentes eram utilizados para reanimá-lo, reanimadores eram administrados, e, logo quando ele recuperava um pouco suas força, era para ser novamente posto à tortura, que durava assim, por seis horas consecutivas.  

Em Paris, por um longo tempo, a tortura da água era bastante usada, era mais facilmente, suportada e menos perigosa. A pessoa que se submetia era amarrada a uma placa apoiada horizontalmente sobre dois cavaletes. Por meio de um chifre, atuando como um funil, enquanto seu nariz era comprimido para forçar a engolir, lentamente eram despejados cerca de cinco litros de água pela sua boca, se considerarmos a tortura ordinária. Para a extraordinária, era derramado o dobro. Quando a tortura terminava, a vítima era desatada ", e levada para ser aquecida na cozinha", diz o texto antigo.

 

Postagem publicada originalmente em: https://www.facebook.com/ConversandoSobreHistoria

Fonte: MANNERS, CUSTOMS, AND DRESS DURING THE MIDDLE AGES, AND DURING THE RENAISSANCE PERIOD. BY PAUL LACROIX

Trackback(0)
Comentarios (0)add
Escreva seu Comentario
quote
bold
italicize
underline
strike
url
image
quote
quote
smile
wink
laugh
grin
angry
sad
shocked
cool
tongue
kiss
cry
smaller | bigger

security image
Escreva os caracteres mostrados


busy
 
< Anterior   Seguinte >

Recomendar a MPHP

Fala para um amigo Seu nome:

Seu e-mail:

E-mail do seu amigo: